Quem (não) precisa de APS?

Os sistemas APS, sigla que caracteriza os sistemas avançados de planejamento e programação da produção, possuem resultados comprovados em diversos segmentos industriais.

Os ganhos geralmente se expressam em um melhor atendimento aos prazos de entrega, redução de estoques e melhoria de produtividade.

Avalie se estas características estão de acordo com a situação da sua empresa. Quanto mais respostas positivas, mais aderente é a ferramenta ao seu negócio, mesmo que não se aplique a todos os casos.

  1. O prazo de entrega oscila significativamente de acordo com a situação da produção e a carteira de pedidos;
  2. A demanda é de difícil previsão, a performance da produção é variável e a necessidade de programação e reprogramação é constante;
  3. A programação da produção requer sincronismo fino com a disponibilidade de matéria prima;
  4. A produção sofre com pedidos urgentes, cancelamentos e alterações na demanda;
  5. O sequenciamento das ordens interfere nas perdas por setup e na produtividade;
  6. A capacidade de produção é limitada por restrições como equipamentos, mão-de-obra e ferramentas especiais;
  7. O fluxo de produção é complexo e a alta variedade de produtos dificulta o controle somente através da gestão visual.

Alexandre Erhart
Engenheiro de Produção com especialização em Logística Empresarial. Possui 10 anos de experiência em consultoria de gestão da produção e sistemas APS e é responsável por dezenas de cases reconhecidos e premiados internacionalmente. Dedica-se a pesquisar ferramentas e técnicas de gestão da manufatura e a encontrar formas de adaptá-las com um toque de criatividade e tecnologia à realidade das empresas em que presta consultoria. Apaixonado por viagens, ex-lutador de boxe e aventureiro nas artes culinárias, adora ouvir blues ou clássicos do rock e degustar cervejas especiais.
Leia mais posts de Alexandre Erhart